Qual o investimento mais indicado para 2015?

By 12 de agosto de 2015 Investimento No Comments
Captura de Tela 2015-08-11 às 22.41.22

Se o baixo crescimento econômico e a instabilidade política costumam desestimular grandes investidores a apostarem no Brasil, algumas de suas consequências, como o aumento da taxa básica de juros, podem favorecer os pequenos aplicadores.

Diante deste cenário econômico, os investimentos em renda fixa são os mais indicados. Isso porque a rentabilidade dessas aplicações acompanha a taxa Selic, que tem subido nos últimos meses e tende a continuar crescendo – atualmente, se aproxima dos 13%. Além disso, são oportunidades seguras e de boa liquidez.

Entre as opções em renda fixa, as mais recomendadas são as Letras Financeiras do Tesouro (LFTs), títulos públicos pós-fixados que acompanham a Selic, além de títulos bancários que pagam um percentual do Certificado de Depósitos Interbancários (CDI), como as Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs).

Os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) são títulos emitidos pelos bancos para captar dinheiro junto a investidores. Eles são seguros porque são protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que assegura a recuperação dos investimentos em caso de liquidação ou falência da instituição. O ideal para quem busca este tipo de investimento é procurar instituições que paguem pelo menos 100% dos CDI.

Já as Letras Financeiras do Tesouro (LFTs) são emitidas pelo governo federal, o que as torna um dos mais seguros tipos de investimento. Elas são pós-fixadas e sua rentabilidade está atrelada à Taxa Selic. Para comprar esses títulos, é preciso um agente de custódia – que pode ser o seu banco em alguns casos.

Outras boas opções em rende fixa são as Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs). Enquanto as primeiras estão vinculadas ao mercado imobiliário – e vão bem, embora esse mercado não esteja em boa fase -, as LCAs têm o lastro de sua operação no agronegócio. As principais vantagens desses títulos é que eles são isentos de imposto de renda e têm garantia do FGC.

As Letras de Câmbio são geradas por instituições financeiras que trabalham com Crédito Consignado e Crédito Pessoal, que captam o que será emprestado. As rentabilidades deste tipo de investimento são bastante expressivas: algumas chegam a pagar 130% do CDI. Elas também são protegidas pelo FGC.

Por fim, os fundos DI buscam acompanhar a variação diária das taxas de juros (Selic/CDI), e, portanto, se beneficiam em um cenário de alta de juros. Eles costumam investir 95% em títulos do Tesouro Nacional, o que torna esse tipo de investimento muito seguro.

Como todo tipo de investimento, as aplicações em renda fixa também têm custos, que devem ser avaliados com cautela para que o investidor não perca dinheiro. A incidência de taxas de administração ou do Imposto de Renda, além da inflação do período, podem corroer a rentabilidade do investimento.

Quanto mais tempo o valor ficar investido, menor a alíquota a ser paga. As taxas costumam partir de 22,5% para aplicações de até 180 dias e baixam a 15% para aquelas que superam 720 dias.

Leave a Reply