Porque é tão difícil concretizar os objetivos financeiros

By 17 de agosto de 2015 Comportamento No Comments
Captura de Tela 2015-08-17 às 22.08.26

De trocar de carro a fazer uma viagem de férias ao Exterior, tirar objetivos do papel pode não ser tarefa fácil. Mas você já pensou no que está fazendo para transformar seus sonhos de consumo em realidade?

Se a questão parece difícil de responder, é porque, provavelmente, você não está fazendo nada. E não é o único. Assim como fazer uma dieta, a ideia de privações que ronda o ato de economizar assusta muita gente, que prefere deixar – a dieta ou a economia – para mais tarde, e nunca começa.

 

Uma “dieta financeira” é como uma dieta comum.

 

É preciso saber o que se quer, e escolher momentos para se dar a alguns luxos. Se a pessoa não fizer isso, ela não saberá o porquê do esforço. Não tem graça nenhuma. – explica o coach financeiro Everton Lopes.

Assim, tanto para caber naquela roupa dois números menor que o seu no fim do ano quanto para passar as férias no caribe no próximo verão, o segredo é o mesmo: foco e disciplina, sem deixar de lado as pequenas recompensas.

Para o autor do livro Seu Bolso no Divã: enfrentando seus problemas financeiros de perto, o primeiro passo é adquirir consciência sobre os seus gastos, colocando tudo na ponta do lápis. Lopes recomenda pelo menos três meses de diagnóstico, desde as contas fixas até os gastos pequenos do dia a dia. A partir daí, é possível identificar onde é possível economizar e exercer um controle maior sobre o seu orçamento.

 

Para concretizar objetivos, é precisa fazer alguma coisa, e isso começa quando você olha para o seu orçamento.

 

Pode colocar em uma planilha, uma agenda, como quiser. O importante é que seja feito – destaca.

Ao ter consciência dos gastos, conforme Lopes, também é mais fácil evitar as compras por impulso. Isso porque, enxergando para onde vai o dinheiro, você passa a ter consciência do que é realmente indispensável no seu orçamento.

O segundo passo para fazer uma reserva financeira, segundo o coach, é aprender a viver com o que se ganha. Isso significa, entre outras coisas, não incorporar o limite do cartão de crédito e do cheque especial ao orçamento.

A sugestão é que, dentro do seu orçamento real, você divida seu salário em 60% para despesas fixas, alimentação e contas, 30% para lazer e 10% para pensar no futuro. Essa última parte, explica o especialista, deve ser sua economia fixa, ficando de fora do orçamento.

 

As pessoas precisam viver sua realidade financeira.

 

Se tem hábitos que você não abre mão, como comer um sushi ou ir para a balada, eles precisam entrar no orçamento. O que não pode é mexer no montante economizado para a meta – explica.

Para manter a disciplina, é importante colocar um prazo no seu objetivo. Se possível, trace mais de um: a curto, médio e longo prazos.

Não perca de vista seu fluxo de caixa: uma olhada no saldo bancário a cada 15 dias ajuda a manter o foco e a planejar os gastos. Se você gasta mais do que ganha, deve procurar uma forma de ganhar mais dinheiro.

Poupe, pesquise e pechinche quando tiver definido sua meta. Por fim, já mais organizado, experimente um desafio maior, tentando não gastar tudo o que economizou.

 

Para o perdulário e para o sovina o sofrimento é o mesmo: um não realiza seus sonhos porque não consegue economizar, enquanto o outro não o faz porque não se permite. O equilíbrio das contas, aliado a uma reserva financeira, dá tranquilidade para traçar planos e realizá-los.

Leave a Reply