Blog de Finanças Pessoais


Descubra como ter o controle do seu dinheiro.

Daily Archives: 21 de setembro de 2015

Como morar sozinho em tempos de crise?

By | Dicas | No Comments
Crédito imagem: Nathan O'Nions / Flickr

Crédito imagem: Nathan O’Nions / Flickr

 

Quando o assunto é independência, poucos momentos são tão emblemáticos quanto a hora de deixar a casa dos pais. Em momentos de crise econômica, o cenário pode ser ainda mais complicado, mas tudo é questão de organização e planejamento. É preciso estudar a situação e estar consciente dos sacrifícios necessários para lidar com as novas responsabilidades sem o auxílio paterno.

– Primeiro, a pessoa terá de ter noção de que todos os gastos ficarão por conta dela. Isso significa que ela pode ter de diminuir um pouco o padrão de vida a que estava acostumada – alerta o educador financeiro Adriano Severo.

Para Severo, antes de partir para uma vida independente, é preciso avaliar quais as contas fixas a serem pagas, o quanto se tem para gastar e, por fim, o que sua renda pode proporcionar. Segundo o especialista, uma boa dica para começar sem comprometer as finanças drasticamente é tentar se manter apenas com o estritamente necessário nos primeiros meses.

– Não há necessidade, por exemplo, de a pessoa instalar uma TV por assinatura assim que se mudar. É algo que pode esperar até que ela tenha condições de incorporar às contas da casa – sugere.

Outra dica é, ao menos no começo, evitar ao máximo luxos e compras supérfluas, como aquele queijo importado que você tanto adora ou guloseimas no supermercado. O mais importante, porém, não é segurar os gastos: é manter as contas na ponta do lápis.

Conforme Severo, monitorar o que entra e sai de dinheiro é importante para se habituar à nova realidade financeira e fazer projeções mais adequadas. O especialista sugere que se anote pelo menos os principais gastos – luz, telefone, internet, aluguel e condomínio – nos primeiros seis meses.

– A principal parte é ter tudo tabelado. Pode ser no computador, no papel, no celular. Assim, é possível se programar, ter lazer, planejar férias – avalia.

O ideal, segundo o educador financeiro, é que a soma das principais contas não comprometa muito mais do 60% da renda mensal. Muitas imobiliárias já dão uma forcinha involuntária nesse quesito, permitindo apenas o aluguel de imóveis que comprometam um percentual baixo – em geral até 30% – da renda do locatário.

Já o modo de pagamento das contas é indiferente, na opinião de Severo. Débito automático pode ajudar em alguns casos, mas há quem prefira se programar para ir ao caixa eletrônico. Nesse caso, é importante ter os prazos controlados, para não perder dinheiro com juros e multas por atraso.

– É importante descobrir o jeito mais confortável de fazer isso. Cuidar da vida financeira tem que ser prazeroso – diz Severo.

Um dos mais agradáveis argumentos para administrar as próprias finanças sem sofrimento é que, com as despesas sob controle, é possível pensar além da rotina. Aquela viagem de férias com a qual você sonha há tanto tempo fica mais perto da realidade quando se toma as rédeas da própria vida financeira. Mas ela também precisa entrar no orçamento:

– Para poder se programar, têm que se pensar nas férias como despesa. Definir um percentual de renda para aquilo e um prazo para realizar a viagem. Sem isso, o dinheiro vai ser gasto – ensina Severo.