Blog de Finanças Pessoais


Descubra como ter o controle do seu dinheiro.

Category Archives: Filhos

child

Como ensinar os seus filhos a ter uma vida financeira saudável

By | Filhos | No Comments
Imagem: Shutterstock

"Muitos pais achavam que estavam protegendo a criança, mas economia não é uma questão de proteção, e sim de exercício."

− Ana Pregardier - Especialista em educação financeira para crianças

Foi-se o tempo em que as contas da casa eram discutidas a portas fechadas, longe das crianças. Para especialistas em educação financeira, os filhos não só podem, como devem, participar e entender da economia da casa desde cedo.

Um dos principais motivos para tantos adultos terem dificuldades em economizar é que eles não foram ensinados a isso. Muitos pais achavam que estavam protegendo a criança, mas economia não é uma questão de proteção, e sim de exercício – explica a especialista em educação financeira para crianças Ana Pregardier.

O primeiro ponto a ser compreendido pelos pais antes de colocar a economia em pauta na família é que finanças não se tratam apenas de dinheiro, mas, principalmente, a busca por soluções amigáveis para resolver as situações do dia a dia.

É importante abordar as necessidades. As crianças precisam saber escolher, saber o que realmente precisam e o que vale a pena ou não para conseguir as coisas – defende.

 

Atitudes simples como ensinar seu filhos a cuidar das próprias roupas e a guardar os brinquedos depois de usá-los, por exemplo, são um bom exercício. O passo seguinte é envolver as crianças na economia da casa.

Ao contrário do que se imagina, lidar com finanças não é só para os maiores. Autora de três livros sobre educação financeira para crianças, Ana diz que mesmo os que ainda não sabem ler podem aprender sobre o assunto.

As crianças em idade pré-escolar se sentem particularmente especiais quando são incluídas no mundo dos adultos. É uma oportunidade para os pais criarem um vínculo entre os filhos e as rotinas da casa – explica.

Um jeito de envolver os pequenos nas questões econômicas do lar é convidá-los a elaborar a lista de compras da casa. A partir daí, a criança pode ser questionada sobre as necessidades da casa, isso funciona como um estímulo à reflexão.

Mas a brincadeira não para por aí. Após isso, chega a parte temida até pelos pais mais seguros: levar os pequenos ao supermercado.

 

É importante levá-los às compras e seguir à risca o que foi listado. Os itens supérfluos são permitidos, mas têm que estar na lista. A criança, ao perceber sua responsabilidade, não irá se distrair tanto com as tentações das prateleiras – diz.

 

Com os alfabetizados, a atividade sobe um degrau na escala de responsabilidades. Uma boa ideia é transformá-los em “guardiões” de alguma das contas da família.

Nesse caso, a criança vira responsável, por exemplo, pela conta de luz, com a missão de controlar tudo o que estiver ligado sem necessidade até a chegada da nova conta. No fim do período, os pais devem mostrar ao filho o que foi economizado com a sua ajuda.

O ideal é pegar o valor poupado e dividir por dois: a metade fica com os pais e a outra metade, com a criança. Assim, ela se sentirá recompensada, mas entenderá que é preciso dividir.

Já as atividades com os maiores, a partir dos 10 anos, pode-se introduzir um novo conceito: o de controle financeiro. Para isso, segundo a especialista, o mais recomendado é conversar com os filhos sobre o que eles desejam ter, mas ainda não ganharam ou não puderam comprar – como um videogame ou uma bicicleta nova. A partir daí, deve-se criar uma planilha com a data em que o sonho será realizado e o quanto é preciso para torná-lo realidade.

Os pais devem ajudar os filhos, mas quem vai controlar a tabela é o jovem. Assim, ele vai começar a ter uma noção de planejamento e racionalizar os gastos – explica Ana.

 

É nesse momento que se começa a criar o hábito do controle financeiro, e os jovens passam a entender a importância de planejar seus gastos. Com os adolescentes, um método interessante é a utilização de aplicativos de gerenciamento financeiro, como o Finanças Pessoais, alternativa que desperta o interesse dos jovens. O resultado disso, segundo a especialista, serão adultos mais conscientes sobre o real valor do dinheiro.

É importante entender e mostrar às crianças que só juntar e não gastar não faz sentido. O dinheiro é um meio. Serve para facilitar as coisas.