Blog de Finanças Pessoais


Descubra como ter o controle do seu dinheiro.

Arquivos investir - Finanças Pessoais

piggy-bank-621068_1280

Como começar a juntar e como investir R$200 mensais

By | Investimento, Sem categoria | No Comments

Grande parte das pessoas tem o mesmo problema em relação a dinheiro: não consegue juntar porque gasta tudo que recebe. Isso acontece porque sempre há necessidades e desejos para serem saciados e nunca parece que aquela quantia, um valor pequeno, irá fazer diferença no futuro. O problema está na maneira de enxergar o fluxo de dinheiro e na falta de planejamento.

Se você pensar naquele R$100 gastos num sapato, os R$50 num jantar com a(o) namorada(o) e mais R$50 no barzinho com os amigos, não parece um mal gasto. Mas você precisa pensar a longo prazo. Como você consegue adaptar seus hábitos para economizar algum dinheiro? Qualquer quantia mensal irá fazer diferença depois de algum tempo, principalmente nos momentos de emergência que normalmente levam as pessoas a se endividarem.

Um valor bem acessível é R$200. Esse dinheiro pode não sobrar nunca, mas se você encarar como um compromisso, como uma conta a ser paga todo dia 5, não é díficil guardar esse valor. Uma maneira de fazer isso é contratar um poupança automatica e programar para que o banco transfira esse valor da sua conta corrente para a sua poupança automaticamente.

Quem sabe você não se organiza para começar a fazer isso agora, em janeiro de 2016?

Pense bem, no final do ano, esse R$200 são R$2400. Em dois anos, R$4800. Talvez pareça pouco, mas irá fazer diferença em caso de alguma emergência, ou para fazer uma viagem nas férias. Mas mais do que isso, você pode investir esse dinheiro e fazer ele render. Então, você irá guardar R$200 por mês, mas ganhará mais do que isso. Investir não é só para gente rica que possui grandes quantias. É possível começar a investir com valores baixos.

Para começar a investir você precisa levar algumas coisas em consideração:

investir

 

Rentabilidade x Risco

A regra geral dos investimentos é: quanto mais risco, maior a rentabilidade. Os investimentos de renda variável possuem a maior rentabilidade e também o maior risco. Se você tem pouco dinheiro para investir e está começando agora, você provavelmente deve focar em investimentos mais seguros, como os de renda fixa.

Liquidez

Mas você não deve apenas pensar em rentabilidade e segurança, você também tem que levar em conta a liquidez do investimento. A liquidez é a facilidade com que você pode retirar o seu dinheiro do investimento. A maioria dos investimento que possuem uma baixa liquidez rendem mais do que os que têm alta liquidez e você pode sacar o seu dinheiro a qualquer momento. Para tomar essa decisão você precisa saber qual o seu objetivo com o investimento.

Imposto x isenção

Algumas pessoas se assustam com o fato de ser preciso pagar imposto de renda sobre o rendimento de alguns investimentos, mas não há motivo para isso. O que não pode acontecer é ser pego desprevenido. Na hora de escolher o investimento, você tem que levar em conta quanto irá investir, por quanto tempo, qual a rentabilidade e quanto deverá pagar de imposto.

Em muitos casos, o imposto diminui quando o dinheiro é investido por períodos mais longos. Então muitas vezes irá valer mais a pena o investimento que incide imposto, pois ele rende mais.

Depois de ter isso firme na sua cabeça você precisa entender as suas principais opções

Renda Fixa x Renda Variável

Renda fixa é um tipo de investimento no qual o investidor sabe quanto vai receber no final do prazo (entre eles estão os títulos públicos, CDB, LCI e LCA), enquanto a renda variável (como compra de ações da bolsa) não garante nenhum ganho, podendo levar o investidor a perder dinheiro. Quanto maior o risco, maior a rentabilidade: se você comprar uma ação por R$20, no dia seguinte ela pode valer R$50 ou R$5. Não há certeza.

Para diminuir os riscos e aplicar de forma inteligente em renda variável, é preciso se informar sobre o assunto. Uma alternativa para investir em renda variável com riscos menores e sem precisar estudar tanto do assunto é optar por fundos de investimento, que falaremos mais para frente.

Emissor público x privado

No investimento em renda fixa — o preferido dos investidores iniciantes pela sua segurança — os títulos podem ser emitidos por um emissor público (Governo) ou privado (empresas). Em geral, os títulos emitidos pelo Governo são considerados mais seguros que os emitidos por empresas, mas isso não é uma regra geral.

Quando você investe em renda fixa, você está emprestando dinheiro ao emissor que, em troca, irá lhe pagar juros até a data de vencimento. O maior risco acontece se o emissor ficar inadimplente e não pagar a dívida, é possível isso acontecer tanto com o Governo quanto com empresas, mas é bastante improvável. Além disso, a maioria dos títulos de renda fixa estão protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGV) que asseguram aplicações até R$250 mil em caso de quebra da instituição.

Rentabilidade prefixada ou pós-fixada

Nos rendimentos prefixados, a taxa de retorno é acertada antes e o investidor sabe exatamente quanto irá receber no final. No caso das pós-fixadas, a taxa de retorno varia de acordo com a oscilação dos índices utilizados para determiná-la.

A maioria dos investimentos em renda fixa pós-fixados estão atrelados à taxa Selic. Portanto, se a taxa de juros oficial aumentar, a rentabilidade aumenta e, se ela diminuir, a rentabilidade diminuiu. Sabendo a que índice a rentabilidade está atrelada, é bem fácil acompanhar as notícias e saber como anda a rentabilidade do investimento. Lembrando que o governo brasileiro vem trabalhando com taxa de juros altas para tentar controlar a inflação e não há previsão de que isso mude.

Fundo de investimentos

Fundos de Investimentos são uma aplicação financeira coletiva em que várias pessoas (cotistas) dão dinheiro para uma empresa administrar e investir. Quando você investe em um fundo, você adquire cotas, que é uma fração do patrimônio do fundo. Quando o patrimônio cresce, o valor da cota também cresce e é assim que você lucra.

Os principais prós de investir em um fundo são contar com um especialistapara gerenciar seu investimento, a alta liquidez e ter um investimentodiversificado. Os fundos costumam diversificar os investimentos (estratégia aconselhada) e assim não apostam todos os ovos em uma cesta só.

Mas não pense que ao investir em um fundo não é preciso se informar. É preciso olhar o histórico de rendimento do fundo, ler o regulamento com atenção para entender como funciona e principalmente prestar atenção às taxas.

O maior problema com fundos de investimentos para pequenos valores é que, quanto menor o investimento, maior o número de cotistas, o que torna a administração mais trabalhosa e cara, aumentando a taxa de administração. Porém, não cometa o erro de escolher cegamente o fundo com menor taxa de administração, é preciso comparar com o histórico de rendimento para ver se a taxa maior não irá valer a pena.

Alguns fundos ainda cobram taxa de performance, que é uma taxa cobrada como um prêmio ao administrador quando a rentabilidade supera a taxa de seu benchmark (outro investimento estabelecido previamente). Isso deve ser levado em conta também

As opções são muitas e não é tão complicado quanto pode parecer em um primeiro momento. Em poucas horas você pode organizar suas finanças e planejar o seu investimento.

Tesouro Direto

Como investir no Tesouro Direto

By | Investimento | No Comments

Imagem: Pixabay

 

Uma das principais preocupações de quem pretende começar a investir é garantir o recebimento do valor ao fim do período. E, quando o assunto é segurança, é quase unânime entre especialistas a opção pelo Tesouro Direto.

 

O Tesouro Direto são títulos públicos emitidos pelo governo federal com objetivo de juntar dinheiro para pagar dívidas e financiar setores como educação, saúde e infraestrutura. O investidor, nesse caso, empresta dinheiro ao governo.

 

Esses títulos são considerados seguros por um motivo simples: são garantidos pelo governo. E as chances de um país quebrar são consideravelmente mais baixas que as de qualquer instituição financeira privada fechar as portas.

 

Há duas maneiras de realizar esse tipo de investimento: a primeira é participando de um fundo que invista neles, quando a compra dos títulos é realizada por um administrador profissional. A segunda é comprar diretamente pela Internet. Para isso, no entanto, é preciso do chamado agente de custódia, que pode ser um banco ou uma corretora. Esse agente é apenas um intermediário: caso ele vá à falência, os títulos continuarão no seu nome e CPF.

 

Os títulos públicos podem ser pré-fixados (o rendimento é definido no momento em que é feito o investimento) ou pós-fixados (que têm a rentabilidade associada a algum índice, como o IPCA ou a Taxa Selic). Os títulos pós-fixados, em geral, se favorecem em um momento de alta dos juros. Já os pré-fixados podem garantir o rendimento em um momento de queda de juros.

 

Quando comprados, eles têm um prazo de vencimento, quando o governo pagará ao investidor o que foi investido. Mas se títulos forem vendidos antes dessa data, o ganho ou a perda estará sujeito ao valor de mercado naquele momento – no caso de ele ser menor do que o que você pagou, poderá perder dinheiro.

 

A exceção é o Tesouro Selic, que é pós-fixado. Ao vendê-lo antes do prazo, você irá resgatar o dinheiro aplicado somado aos juros do período, sem penalidades. Também por esse motivo, ele é indicado, para investidores principiantes, como substituto da poupança.

 

Já os juros sobre o rendimento você pode escolher receber a cada seis meses – e reinvestir o valor, caso deseje – ou ao final do investimento. O valor mínimo para aplicação é 1% do valor de um título, desde que não seja inferior a R$ 30.

 

Apesar das vantagens, há pelo menos três taxas que incidem sobre o Tesouro Direto e é bom ficar atento às suas variações. A taxa de corretagem é padronizada e cobrada semestralmente pela BM&FBOVESPA, que regula os investimentos na bolsa de valores. O valor é fixo, 0,3%, ao ano. O agente de custódia cobra uma taxa administrativa, que varia entre 0% e 0,5% ao ano. Por fim, o Imposto de Renda incide sobre o investimento. Nesse caso, quanto mais tempo você deixa seu dinheiro investido, menos você paga de imposto.
Mesmo com a cobrança de taxas, no entanto, o retorno dos títulos públicos ainda é superior ao de investimentos como a caderneta de poupança. Que tal dar uma chance a eles?

Palestra gratuita: “Como começar a investir em 2015″

By | Evento | No Comments

 

investing

O Finanças Pessoais, em parceria com o Meu Bolso Cheio, está organizando uma palestra online gratuita sobre investimentos. O cenário atual – com a crise financeira, juros e inflação altos – está incentivando cada vez mais as pessoas a tirar o dinheiro da poupança e investir. Porém, ainda são poucos brasileiros que tem o hábito de investir e o tema é nebuloso para a maioria.

Alcides Maciel e Rafael Recidive, criadores do Meu Bolso Cheio e especialistas em finanças pessoais e investimentos, vão explicar “Como começar a investir em 2015”. Eles irão falar sobre o cenário econômico atual, como tirar proveito das altas taxas de juros e onde investir o seu dinheiro – seja pouco ou muito, para curto ou longo prazo.

Durante a palestra, é possível enviar perguntas, que serão respondidas no final do talk. O evento acontece na próxima quinta-feira, dia 23 de julho, às 20h. Para participar, basta acessar a página do evento e clicar no botão “sim” em resposta a pergunta “Vai assistir ao Hangout?”.

Saiba um pouco mais sobre os palestrantes:

Alcides Maciel

Administrador, 10 anos de experiência com finanças pessoais e investimentos, 5 anos de experiência no mercado bancário. Co-autor do livro “Os Segredos para Atingir a Riqueza”. Trabalha com desenvolvimento de pessoas na Petrobras.

Rafael Recidive

Administrador e Especialista em Negócios Financeiros. Possui 12 anos de experiência no mercado sendo 7 no mercado financeiro.

Serviço

O que: Palestra online gratuita “Como começar a investir em 2015”

Quando: 23 de julho às 20h

Para se increver e assistir: https://plus.google.com/events/ci02hq87edd1smh9jkkhmkrorkc

 

Pense como um milionário: lições para quem quer acumular dinheiro

By | Dicas, Sem categoria | 2 Comments

Muita gente sonha em se tornar um milionário e com não ter que se preocupar com dinheiro, mas acham que é preciso ter muita sorte (ou nascer em família rica). Na verdade, é possível “chegar lá” sem ganhar na loteria ou inventar o novo Facebook. É tudo uma questão de maneira de pensar, estratégia e perseverança.

A melhor forma de aprender como conquistar um objetivo é com quem já conseguiu: entender como pensam e agem os milionários e aplicar os seus ensinamentos  Veja algumas atitudes que você pode adotar para alcançar o sucesso financeiro:

Escreva suas ideias

Os milionários estão sempre em busca de oportunidades e sabem que, muitas vezes, uma oportunidade perdida pode nunca mais voltar. Para evitar perder oportunidades, escreva a ideia assim que ela surgir, desta forma você não correrá o risco de esquecer, e volte a pensa nela melhor mais tarde. Não confie em sua memória, concentre todas as ideias no lugar escolhido.


Estabeleça metas

Todos os grandes milionários têm muita clareza de qual é o seu objetivo financeiro e criam planos de ação para atingi-los. Defina o seu objetivo e, em seguida, crie uma meta no modelo S.M.A.R.T, uma sigla do inglês que significa que a meta deve ser específica, mensurável, atingível, relevante e temporal.


Faça como Albert Einstein

Os milionários costumam utilizar com muita frequência uma técnica que Einstein usava para seus projetos: ele se visualizava na posição desejada e em seguida retrocedia gradativamente, imaginando os passos que foram dados até alcançar o resultado.

Imagine-se na posição que deseja está daqui a 5 anos e, a partir daí, responda a essas perguntas: qual é a sua aparência? Com que tipo de pessoas você está trabalhando? Qual a sua reputação no mercado? Qual a sua renda? Como você está executando o seu negócio?


A técnica do brainstorming

Esta é uma técnica muito simples e bastante usada no mundo empresarial. O termo brainstorming, do inglês, significa “tempestade cerebral”, ou seja, uma tempestade de ideias. Esse é o melhor modo para estimular o seu pensamento criativo e deixar você de bem com as suas finanças pessoais.

Por meio dela, você conseguirá pensar em várias formas de resolver os seus problemas. Escreva um problema ou o seu objetivo em forma de pergunta e, em seguida, escreva pelo menos 20 respostas para a pergunta, sem filtrar e deixar de escrever por a ideia é ruim ou impraticável – apenas escreva.

Por exemplo: digamos que você deseja dobrar o seu rendimento financeiro em 12 meses, então você deverá escrever: “Como eu posso dobrar o meu rendimento financeiro em 12 meses?”. Em seguida, você deve escrever, no mínimo, 20 respostas a essa pergunta.


Economize seu dinheiro

Se você deseja ficar rico, você deve economizar. Comece analisando as suas finanças e realizando pequenas economias. Depois, aumente gradativamente. Neste sentido, o mais importante é a educação mental, criar o hábito de poupar.

O primeiro passo nesse é determinar um valor fixo mensal que deve ser poupado e programar no seu banco uma transferência automática para o seu investimento (a maioria dos bancos tem essa opção na internet).

Analise também a necessidade de simplificar a sua vida para ter um maior capital e aumentar os seus rendimentos. Será que você precisa investir 500 mil em um apartamento ou é melhor alugar um imóvel? Pense que, ao comprar um apartamento, você reduz a sua mobilidade e imobiliza capital, o que pode fazer com que você perca algumas oportunidades de investimentos mais lucrativos.

 

Tenha paixão pelo que você faz

Todo milionário cometerá erros, em alguns casos podem chegar até a perder tudo. No entanto, em virtude do seu mindset conseguem se reerguer e atingir resultado maior que o inicial.

Um exemplo clássico é o Steve Jobs. Em seu histórico discurso para formandos em Stanford, ele comenta que o que o levou a dar a volta por cima e transformar o mundo da tecnologia, depois de ser demitido da própria empresa, foi o amor pelo que fazia.

Em seguida ele aconselha: “Você tem que descobrir o que você ama. Seu trabalho vai preencher uma parte grande da sua vida, e a única maneira de ficar realmente satisfeito é o que você acredita ser um ótimo trabalho”. Descubra o que você ama e em seguida descubra um meio de se tornar rico com isso.


Seja empreendedor

O melhor caminho para se tornar um milionário é através do empreendedorismo. A possibilidade de você se tornar um milionário trabalhando para outras pessoas é muito menor. Mas ter o próprio negócio envolve muitos riscos. É necessário conseguir capital e, dependendo do negócio, há necessidade de muitos funcionários para tocar o empreendimento.

Mas para se tornar milionário você terá, inevitavelmente, que correr muitos riscos. Nesse processo você terá sucessos e derrotas, e o mais importante é aprender com eles e calcular os próximos riscos, buscando minimizar as chances de erro.


Comprometa-se com a riqueza

As pessoas têm muitos desejos — como ter um corpo melhor, um trabalho melhor etc. — e ser milionário é apenas um deles. Mas quantas dessas pessoas realmente se comprometem para atingir o objetivo? Quantas são ativas na academia e controlam a alimentação? Quantas procuram se especialiazam e  se esforçam para virar profissionais melhores?

Apenas desejar ficar rico não é suficiente. O que você está fazendo para atingir este objetivo? Milionários sabem que não basta desejar o que você quer: para conseguir você precisa se comprometer a alcançar a riqueza e a manter-se rico.

Em suma, tenha em mente que tornar-se um milionário não é uma tarefa fácil, exigirá de você muito trabalho e muita disciplina.